Navigation Menu

Do solar ao IACS: a história da casa da Lara Vilela

Por Luiza Gould




[caption id="attachment_2156" align="alignright" width="282"]Foto antiga do casarão da Lara Vilela quando ele já era o IACS/ foto galeria Jubileu de Ouro da UFF Foto antiga do casarão da Lara Vilela quando ele já era o IACS/ galeria Jubileu de Ouro da UFF[/caption]

Ela é a grande casa rosa, que dá o nome ao jornal e é o segundo lar dos alunos de graduação de Arquivologia, Artes, Biblioteconomia, Comunicação Social, Cinema, Produção Cultural e Estudos de Mídia. A casa da Rua Lara Vilela é uma das que ainda resistem em Niterói. Mas quem tem aulas onde hoje é o Instituto de Arte e Comunicação Social, ou conheça o prédio de vista, talvez não saiba a história desse lugar construído há mais de 160 anos. O casarão surgiu inicialmente como endereço do cônsul da Grécia, Othon Leonardos. Othon assumiu o cargo por 45 anos e construiu o então solar no bairro de São Domingos entre os anos de 1840 e 1845.


Depois de ser moradia de um nobre, a casa se transformou em uma escola, o Ginásio Bittencourt Silva, instituição privada para níveis primário e secundário, inaugurado em 1926. Quarenta e quatro anos depois, o local passaria a pertencer à Universidade Federal Fluminense abrigando os cursos de Ciências Humanas e Filosofia. A partir de 1979, o casarão rosa passaria a ser o campus do IACS, papel que assume até hoje depois de décadas que sempre tiveram em comum um fator: a capacidade de acolher a todos de portas e janelas abertas.




[caption id="attachment_2157" align="aligncenter" width="320"]Casa da Lara Vilela hoje/ foto Igor Pinheiro Casa da Lara Vilela hoje/ foto Igor Pinheiro[/caption]

Um comentário:

  1. Therezinha Pereira Campos13 de março de 2014 13:35

    Estudei no Colégio Bittencourt Silva em 1961.

    ResponderExcluir