Navigation Menu

Prefeitura de Niterói conta com respeito dos motoristas até implementar ciclovias

Por Daniele Barbosa

Niterói já foi conhecida como cidade sorriso e como um reduto cultural, características que foram se perdendo ao longo dos anos, com as diferentes estratégias de administração da prefeitura. Uma das grandes promessas do atual governo para a região é a bicicleta. Com apenas 129,3 km² e uma das cidades mais populosas do estado do Rio, meios de transportes alternativos não são apenas uma questão de escolha para uma Niterói que sofre diariamente com engarrafamentos e é alvo da especulação imobiliária. A bicicleta é quase uma necessidade para quem deseja circular livre dos engarrafamentos e ônibus lotados, ainda mais quando é possível percorrer de uma ponta a outra da cidade em cerca de uma hora. Para Argus Caruso, arquiteto e coordenador do projeto “Niterói de Bicicleta”, o veículo pode ser uma excelente alternativa para os niteroieneses, desde que as regras da boa convivência entre motorista e ciclistas sejam respeitadas.  Para isso, ele pretende investir em projetos de educação no transito  e construção de vias cicloviárias.

http://www.youtube.com/watch?v=d0tyA3zQk5s

De acordo com Caruso, a Rua Timbiras, em São Francisco, vai ganhar a primeira ciclovia da cidade, com sinalização e separação física entre carros e bicicletas. A partir da implementação no local, o arquiteto pretende aplicar as ciclovias em outros locais e aos poucos ir substituindo as ciclofaixas já existentes. Caruso explica que ainda não integrava o time da prefeitura quando diversas ciclofaixas da cidade, principalmente em São Francisco, foram removidas.

[caption id="attachment_2906" align="alignleft" width="180"]Ademir Silva, de Itaboraí, usa a bicicleta para circular por Niterói Ademir Silva, de Itaboraí, usa a bicicleta para circular por Niterói[/caption]

“A prefeitura tem todo um processo licitatório que demanda tempo, por isso não tem como determinar prazos para a conclusão desse projeto. Estamos fechando o orçamento. Junto com isso tem o projeto da Estrada Froes, em São Francisco, que vai acabar com a ciclofaixa do lado esquerdo. Vamos construir uma ciclovia do lado direito”, conta Caruso.

Ademir da Silva foi um dos que sentiu com a retirada da ciclofaixa na Avenida Franklin Roosevelt, em São Francisco, região onde trabalha. Morador de Itaboraí, ele vem de segunda a sábado de ônibus para Niterói, onde tem um bicicleta guardada para circular entre o bairro e o Centro. Ele afirma que não utiliza a ciclofaixa temporária implementada na Timbiras, por não ser prático.

[gallery link="file" ids="2878,2879,2880,2881,2882,2883,2884,2885,2886,2887,2888,2889"]

0 comentários: