Navigation Menu

"Minhas tatuagens preferidas mudam toda semana"

* Por Carina Lamonatto e Thais Ximenes


Renata Serpa é apaixonada por tatuagens desde criança, e fez sua primeira aos 16 anos. Como usou a carteira de identidade emprestada de uma amiga, para evitar que a família tivesse que autorizar o procedimento, escondeu a tatuagem até completar 18. A reação dos familiares não foi das melhores.




"A maior parte da minha família sempre achou tatuagem algo terrível, criminalizado e de mau gosto".



Hoje, com 25 anos, Renata tem 14 tatuagens e não pensa em parar por aí. A família teve que se  acostumar, mas na rua ela ainda ouve comentários como “Ela nunca vai conseguir um emprego toda rabiscada assim”. Apesar disso, Renata acredita que o preconceito vem diminuindo com as novas gerações. Ela explica que geralmente são as pessoas mais velhas que resistem às tatuagens, mas que às vezes se surpreende:




"Uma vez uma senhora que aparentava uns 80 anos me parou na rua e disse que as minhas tatuagens eram as mais lindas e delicadas que ela já tinha visto. Eu ganhei meu dia!"



Além de elogios, Renata também costuma ouvir alguns questionamentos clichês. Perguntas sobre custo e dor estão entre as mais recorrentes. No entanto, as que mais irritam são as que têm a ver com o significado das tatuagens. “A tatuagem é algo extremamente pessoal, não me sinto confortável dando explicações sobre situações tão íntimas da minha vida”.


Ela conta que suas tatuagens preferidas mudam toda semana, e nunca pensou em apagar nenhuma delas. Com o tempo, algumas acabaram mudando a cor ou o design, mas ela garante que não se arrepender de ter feito nenhum de seus 14 desenhos.




[caption id="attachment_3298" align="aligncenter" width="300"] Foto: Arquivo pessoal de Renata[/caption]

E não é só Renata que é apaixonada pelas suas tatuagens. Sua filha de seis anos, Letícia, se rabisca com canetinha imitando as tatuagens da mãe e briga na hora de tomar banho porque não quer tirar os desenhos do corpo. “Às vezes, ela fala que minhas tatuagens estão precisando de um retoque e pinta uma por uma”. Renata conta que fica toda boba quando a filha fala das tatuagens dela para os amiguinhos na escola.




"Toda vez que surge o assunto ela fala cheia de orgulho: 'Minha mãe tem um montão de tatuagens!'"



Para Renata, tatuagem é uma das formas mais expressivas de arte. “É algo tão bonito e tão cheio de significado que você marca definitivamente na própria pele” explica. Apesar da mãe e da avó acharem que ela está desperdiçando dinheiro com os desenhos gravados no corpo, ela vê em cada um deles lembretes de fases importantes em sua vida. “Tenho tatuagens que são marcos e me lembram de que eu passei por momentos muito difíceis, mas superei”.


Conheça mais histórias!


AlessandraAna Sofia • KatarinaLaís e Rachel


Mapa com curiosidades • Senha para ler 'Pra que julgar?': TATUAGEM

0 comentários: